domingo, maio 29, 2016

«domar a Luz» - Robert + «apenas miúdos» - Patti...

Auto-retrato,  ROBERT MAPPLETHORPE FOUNDATION
- o artigo do «Ípsilon» de sexta -  AQUI - que fala da nova exposição dedicada ao fotógrafo, refere 2011 como o ano de  tradução do livro autobiog. de Patti Smith; 
- V. lembra-se de o ter lido, certamente nesse ano, pq. Agosto foi ainda na «Casa das Bonecas» - todo, pq. havia tempo de «sobra»...; de pouco se lembra agora e, como não sabe onde pára (ou foi parar, talvez oferecido(...)

- [num destes dias, no 4.º Bloco,  B. C. (que Nome!) de O. - mais de 18, que vem de AZ.- era portadora da edição inglesa do recente livro de Patti: M Train  (pelo menos,  uma «vista de olhos» lhe dará V. - traduzido, claro...)

- Well, «mudam-se os tempos, mudam-se [...] 

sábado, maio 28, 2016

A Visita ... de um velho senhor

[4:30 - Pausa «APN»]

- tinha os atributos físicos de P. Sant. L., mas devia ser «o Diabo por Ele» - invadiu o Qd.o de V. e, depois de «arengar» contra Prog.s, Lit.rs e «M. do C.» ... propôs «Expressão Livre» dedicada ao Motivo da CRIANÇA...
- quanto a V., sentou-se ao fundo à Espera...
- ...  interrompida pela referida Pausa «APN»...

segunda-feira, maio 23, 2016

«Esquecer é um Acto de Salvação» - Ou «Então está bem», por M. E. C.

[quando é que M. E. C. - faz 61 - reunirá tudo numa AutoBiog. ?]

[quanto à Crónica Autob. de hoje, na Diária Coluna Habitual,  D. não pode estar mais de acordo - e então depois da «rabia» que levou da Mana A., há dias...]

Recortes, então, de «Então está bem» [sublinhados acrescentados]
[...]
    Ainda estou a tentar habituar-me à estranheza de deixar de ter saudades do passado, pela simples razão de me ter esquecido do que me aconteceu.
    Já comecei a convencer-me, com a necessária estupidez, que tive sorte e que o vazio oco e calado que agora ocupa a parte de mim que se lembrava de felicidades anteriores (incluindo, sobretudo, a própria infância) constitui um acto de salvação. Não consigo lembrar-me. Isto é: a minha memória, ao não conseguir lembrar-se, poupou-me.
    Esquecer é uma poupança. Ter lido Borges antes de se ter a idade que ele teve quando escreveu o que lemos é uma predestinação. Obriga-nos a pensar que perdemos, por pensar, mais do que ele.
[...] - COMPLETA - AQUI

- a 19 de junho, «O prazer de esquecer», na mesma linha ... Esquecer é poupar. Há coisas que só ganham por não serem lembradas»] - AQUI

domingo, maio 15, 2016

«Je est un autre» - Saramago

[18 e... - ao lado «ululam» as Massas do FUTE...; releituras para a última série de Envelopes de 1516...; está quase...]

Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011
Montaigne, Pessoa e Kafka
      Os escritores a que estou sempre a voltar são Montaigne, Pessoa e Kafka. O primeiro porque somos a matéria do que escrevemos, o segundo porque somos muitos e não um, o terceiro porque esse um que não somos é um coleóptero.

“Soy un relativista”, Vistazo, Guayaquil, 19 de Fevereiro de 2004 [sublinhados acrescentados]

In José Saramago nas Suas Palavras                  [da Fundação]

quarta-feira, maio 11, 2016

J. E. T. C. P.

- cerca das 6 e 10 - desligar da «Máq. APN»

- Zé T. e D. resolveram deixar a «Tralha» no Quadrado e fazer uma corrida de «estreia» dos «calcantes»  novos - lá foram, por uma alameda com alguma inclinação, até ao Mar; no regresso comentavam o atraso (cerca de 4'), o Mestre e a reacção deste quando...

- [Zé T. - referido AQUI - com a idade e a fisionomia de então - por vezes são agradáveis, os sonhos]

quinta-feira, maio 05, 2016

«Maria Alentejana»

[foi no domingo, em Santo António da C., no Aniv., «atrasado»,  de J.]

- M. A. terá sido quem veio substituir a Prima Maria (a «Babá»?) - andaria D. pelos 6? 7? 
- «varado» ficou quando, além de lhe traçar o Retrato, a Mana A. descreveu em pormenor a Casa da Calçada da Bica Pequena, n.º.... (a tal a cuja varanda o Menino «viajava» pelo Rio ...) e outras Persona e eventos... - grande «Baile», pois D. tinha tudo isso «apagado»...
- quanto à «Maria Alentejana», há que interrogar a Mana C. (cerca de mais 6 anos), a ver se algo surge do Poço...

Informação adicional - «Truncada» («Emel» da Mana A. pelas 9 e 53):
          Natural de Grândola (algures da Vila ou arredores … ?), tinha uma tia no Bairro da Encarnação..
      [...][ Foi-se embora porque pedia aumento de ordenado [...]
  Para onde?  Surpresa! [...] para casa da, então jovem, médica Pediatra dos meninos A. e D. (Drª I. F. ) com Consultório em Campolide (do qual a mana A. ainda se lembra da entrada do prédio (com colunas) e da disposição da Sala de Espera!

[«arrasado» - que «Memória de Elefante!»]